Tops da Semana

A EdUFMT é uma das editoras universitárias que mais publica por ano

A Editora da Universidade Federal de Mato Grosso já publicou 702 livros, sendo 641 livros físicos/impressos e 61 e-books. À frente da coordenação da Editora da Universidade Federal de Mato Grosso (EdUFMT) desde o dia 20 de março de 2020, Francisco Xavier Freire Rodrigues também é professor permanente do Programa de Pós-Graduação em Sociologia, professor permanente do Programa de Pós-Graduação em Estudos de Cultura Contemporânea e professor do Departamento de Sociologia e Ciência Política da UFMT. Francisco Xavier Freire Rodrigues é bacharelado em Ciências Sociais pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), além de possuir mestrado e doutorado em Sociologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS. Nesta entrevista exclusiva ao Blog da Condessa, o coordenador da Editora da UFMT comenta sobre o acervo da editora universitária, da relevância da EdUFMT no fomento à leitura, sobre os livros premiados e a produção literária de autores mato-grossenses, bem como da difusão universitária, entre outros. Confira!

Blog da Condessa – Há livros premiados na editora da UFMT? O que significa/ representa esse prêmio para a literatura de Mato Grosso? 

Francisco Xavier Freire Rodrigues- Merece destaque nesse contexto o livro “Foi Assim – Vidas, olhares e personagens por trás dos processos trabalhistas em Mato Grosso”, produzido pelo Tribunal Regional do Trabalho da 23ª Região (TRT-23), com apoio da Universidade, por meio da Editora, que conquistou o primeiro lugar na categoria Publicação Especial do Prêmio Nacional de Comunicação e Justiça, concedido pelo Fórum Nacional de Comunicação e Justiça, no mês de junho de 2018. A premiação foi muito importante para a nossa Editora e para a sociedade de Mato Grosso em geral.

Blog da Condessa – O acervo da EdUFMT é basicamente de livros científicos? Há outros temas, áreas? 

Francisco Xavier Freire Rodrigues – Livros acadêmicos. Obras integrais e coletâneas das diferentes áreas do saber/conhecimento. Os títulos publicados versam fundamentalmente sobre o Regionalismo, a Cultura, a Educação, a Geografia, a História, o Agronegócio, as diferenças de gênero e raça, os povos indígenas e as relações de poder do Estado de Mato Grosso.

Blog da Condessa – Por favor, sugestões de leituras para adultos e crianças.

Francisco Xavier Freire Rodrigues – Para crianças sugerimos as seguintes leituras: A natureza agredida pede para ser respeitada (Moreira de Acopiara); Chapeuzinho Amarelo (Chico Buarque); Adivinha quanto eu te amo (Sam McBratney); Cospe fogo o Dragão (Luciene Regina Paulino Tognetta); Marcelo, Marmelo, martelo (Ruth Rocha). Para jovens e adultos as dicas de leituras são: De Aluísio Azevedo: “O Cortiço”; de Carlos Drummond de Andrade: “A Rosa do Povo” e “Claro Enigma”; de Lima Barreto: “Triste Fim de Policarpo Quaresma”; de Machado de Assis: “Memórias Póstumas de Brás Cubas” e “Dom Casmurro”;  de Nelson Rodrigues: “Vestido de Noiva” e “A Vida Como Ela É”; de José Lins do Rego: “Fogo Morto”; de Guimarães Rosa: “O Grande Sertão: Veredas” e “Sagarana”. Outras sugestões são: Eleanor & Park, de Rainbow Rowell; Quem é você, Alasca?, de John Green; As Vantagens de Ser Invisível, de Stephen Chbosky; A Arte de Produzir Efeito sem Causa, de Lourenço Mutarelli; Sobre os Ossos dos Mortos, de Olga Tokarczuk; O ano do pensamento mágico, de Joan Didion; Don Juan (Narrado por Ele Mesmo), de Peter Handke; A revolução dos bichos, de George Orwell; Sapiens: História Breve da Humanidade, de Yuval Noah Harari.

Blog da Condessa – Na sua opinião, sinônimo de ler é? 

Francisco Xavier Freire Rodrigues – Ler é decodificar a vida. Ler é decifrar o mundo real e imaginário. Ler é reconhecer e identificar as múltiplas realidades e aprender coisas novas. Ler é captar, pronunciar, articular, proferir, recitar. Ler é adentrar um mundo novo, uma viagem no mundo das letras e no mundo do conhecimento, da imaginação e abrir as portas para inúmeras realidades. É uma maneira de constituir a identidade do indivíduo, da formação humana. A leitura é sem dúvida uma das formas do exercício da liberdade, da autonomia individual e de cultivo da imaginação. Acreditamos que quem lê amplia o olhar, torna-se mais tolerante ao perceber na visão do outro formas de alargar a sua própria visão das coisas. Quem lê certamente fala e escreve melhor, consegue ter uma percepção mais crítica de tudo.

Blog da Condessa – Em 2019, a UFMT fez um lançamento coletivo de livros produzidos por pesquisadores. Qual foi o objetivo da ação?

Francisco Xavier Freire Rodrigues – Ressaltamos que em 2019 a EdUFMT promoveu um lançamento coletivo de obras, aberto ao público, no qual estiveram presentes autores das produções bibliográficas, convidados e integrantes da comunidade interna e externa, oportunidade em que foi possível divulgar de maneira ampla boa parte das obras editadas naquele ano. O objetivo desta ação foi aproximar a sociedade, a EdUFMT, os autores e os leitores, contribuindo com a população da ciência. Mostrar a relevância social e cultural do conhecimento e das publicações da nossa EdUFMT. Os leitores tiveram a oportunidade de conversar, dialogar e tirar dúvidas com os autores/escritores. Isso significa dar “vida” aos saberes, ao conhecimento e à ciência. Eventos desta natureza permitem a socialização das produções intelectuais, fazendo com que a Universidade preste contas a sociedade.

Blog da Condessa – Cite, por favor, outros eventos relevantes.

Francisco Xavier Freire Rodrigues  – Dentre os eventos dos quais a EdUFMT participou em 2019, podem ser citados: Seminário de Educação 2019 (evento de alcance regional e nacional); XII Encontro Nacional de pesquisadores de Ensino de História 2019; e 2º Seminário de Filosofia Clássica Alemã 2019. Além disso, foram levados materiais para doação em outros eventos, como XIV Semana Acadêmica de Filosofia 2019, Áfricas – X Pluralidade Cultural – IFMT Campus Cuiabá 2019, XIV ENECOMAT 2019 e, também foram realizadas doações para bibliotecas escolares da rede pública de ensino, a saber: Biblioteca da Escola Estadual Ernesto Che Guevara (Escola do Campo em Tangará da Serra) e Biblioteca da Escola Municipal Napoleão José da Costa (Várzea Grande). Como associada da Associação Brasileira das Editoras Universitárias (Abeu), a EdUFMT participa regularmente dos seus eventos que são realizados em diversos lugares do país. Nesses espaços, foi possível divulgar as obras da EdUFMT para professores da rede de educação básica, professores da graduação e pós-graduação da UFMT e de outras instituições de Ensino Superior, estudantes de graduação e da pós-graduação, pesquisadores e comunidade externa de modo geral. 

Blog da Condessa – É relevante, consistente, substancial a produção literária de autores mato-grossenses, bem como da difusão universitária? 

Francisco Xavier Freire Rodrigues – Não temos dúvidas de que Mato Grosso é um estado rico do ponto de vista cultural e intelectual. A missão da EdUFMT é editar, coeditar, reeditar e divulgar produções acadêmicas relacionadas ao ensino, à pesquisa e à extensão, ampliar o incremento à publicação da produção científica, bem como apoiar a promoção das iniciativas de edições culturais e artísticas. Cumprindo esse compromisso institucional e com a comunidade em geral, a Editora deu sequência às publicações. Ao longo de quase três décadas a Editora publicou centenas de livros e inúmeros periódicos por ela coeditados. Encontra-se hoje entre uma das Editoras Universitárias que mais publica por ano. Os títulos lançados versam fundamentalmente sobre regionalismos, cultura, educação, geografia, história, agronegócio, diversidades, povos indígenas e relações de poder do Estado de Mato Grosso. São muitas as personalidades da literatura de Mato Grosso. Marilza Ribeiro, Tereza Albuês, Hilda Gomes, Padre Antonio Rodrigues Pimentel, Flávio José Ferreira, Aclyse de Matos, Hilda Gomes Dutra Magalhães, Ricardo Guilherme Dicke, Manoel de Barros, João Antonio Neto, Waldemir Dias Pino, Silva Freire, Lobivar de Matos, entre outros. A EdUFMT já publicou 702 livros, sendo 641 livros físicos/impressos e 61 E-books. 

Blog da Condessa –  Quantos livros, obras publicadas nos últimos cinco anos pela editora da UFMT? Comente, por favor, os mais importantes. 

Francisco Xavier Freire Rodrigues –  Publicamos cerca de 200 livros nos últimos cinco anos. O nosso acervo pode ser encontrado no endereço https://www.edufmt.com.br/.  Não vou comentar os mais importantes para não cometer injustiça com os nossos autores. 

Blog da Condessa – Quantos lançamentos previstos para este ano e para 2021?

Francisco Xavier Freire Rodrigues – Estamos finalizando a publicação de livros de dois editais de 2019, com cerca de 18 novos livros. Temos também cerca de 18 livros para serem publicados em 2020 dos editais deste ano. Os lançamentos dos livros deste ano não estão ainda agendados devido à pandemia.  

Blog da Condessa – Na sua opinião, o confinamento doméstico imposto pela pandemia do novo coronavírus estimulou a leitura?

Francisco Xavier Freire Rodrigues – Especialistas afirmam que o confinamento doméstico imposto pela pandemia do novo coronavírus tem se apresentando como uma excelente oportunidade para aproximar pais e filhos em torno da leitura. Distanciamento social fez crescer a demanda por leitura em alguns países, e e-books têm recebido mais adesão. Em países como Itália, livrarias foram autorizadas a voltar a funcionar. O período de distanciamento social tem levado a um aumento na venda de livros em diversos países no mundo. Com as pessoas passando mais tempo em casa, a demanda por produtos culturais aumentou de forma geral, e obviamente que a leitura de livros foi impactada positivamente. Na Inglaterra, a procura por livros cresceu cerca de 33% em relação ao mesmo período em 2019, e as vendas online tiveram um aumento de 400% na comparação com o ano passado. Esta mesma tendência também se fez presente na Espanha, um dos locais mais atingidos pela pandemia. Conforme dados divulgados pela Libranda, uma das principais editoras e distribuidoras de livros do país, o crescimento mais relevante e significativo se deu nos livros digitais: um aumento de 50% na demanda no mês de março, em comparação com 2019. Com o isolamento social, o tédio das pessoas tem levado a fazer coisas novas e também retomar velhos hábitos. A leitura foi beneficiada neste sentido. O 4º Painel do Varejo de Livros no Brasil em 2020 revelou que, no período de 23 de março a 19 de abril, os e-books e vendas on-line de livros físicos aumentaram consideravelmente. Nesta mesma direção, a pesquisa Retratos da Leitura no Brasil mostrou que a plataforma Estante Virtual, que reúne sebos e livrarias de todo o país, aumento de 50% em abril, em comparação ao mesmo mês do ano passado.

Blog da Condessa -Quem lê amplia o olhar, torna-se mais tolerante ao perceber na visão do outro formas de alargar a sua própria visão das coisas. Quem lê, consegue ter uma percepção mais crítica de tudo. Concordas?

Francisco Xavier Freire Rodrigues – Claro. Quem lê consegue perceber e vivenciar novas experiências. Além de uma consciência crítica da realidade social, o leitor consegue vivenciar, criar e intervir na realidade com mais qualidade e conhecimento de causa. A leitura permite a humanização do homem e amplia seus horizontes de ação e percepção.

Blog da Condessa – É possível cultivar o gosto pela leitura aproveitando as possibilidades abertas pela tecnologia da informação?

Francisco Xavier Freire Rodrigues – Acreditamos que é possível cultivar o gosto pela leitura aproveitando as possibilidades abertas pela tecnologia da informação. Verificamos que muita gente resolveu, nesta quarentena, ler para crianças e adultos em vídeos e intervenções ao vivo pelas redes sociais. Percebe-se também que alguns autores, mais talentosos com os novos meios, estão inclusive animando os próprios poemas e livros. É possível aproveitar a interface entre livros e jogos eletrônicos na internet ou em dispositivos sem conexão. Em alguns jogos têm narrativas contadas. O encadeamento das ideias, como o jogo é organizado, desperta o interesse das crianças e desenvolve habilidades. Tem livros que falam dos personagens dos jogos, o que certamente, de alguma forma, pode estimular a leitura das crianças e dos jovens. Não há dúvidas de que a disponibilidade dos recursos trazidos pela internet e dos aparelhos eletrônicos facilita o acesso aos livros, bem como reforça a necessidade dos pais lerem precocemente para suas crianças. As crianças maiores têm lido também nos tablets, computadores e outros. Depois que desenvolverem o gosto pela leitura, crianças leem em todos os ambientes. Com mais tempo em casa, devido ao confinamento, é possível dedicar um tempo para a leitura. No entanto, consideramos que é muito cedo para saber qual o real impacto no mercado do livro, mas já estamos vendo um aumento no número de pessoas que usam os serviços de subscrição de leitura digital para acessar os livros. Pesquisas indicam que desde meados de março, chegaram centenas de novos usuários ao Scribd. Obviamente que isso porque as pessoas estão ficando em casa. Faz sentido que busquem conteúdos digitais e esse conforto e entretenimento durante este período. Percebemos que muitas pessoas estão ansiosas por ler neste momento. Estão com fome de recomendação de livros e criando clubes de leitura virtuais. Por isso que acreditamos que estamos vivendo um grande momento para que os editores e autores se comprometam com seu público on-line e também aproveitem as oportunidades de distribuição digital para fazer com que seus livros eletrônicos e audiolivros cheguem a todos os leitores possíveis.

Blog da Condessa – O senhor também escreve? Caso afirmativo, tens livros publicados?

Francisco Xavier Freire Rodrigues – Sim. Escrevemos basicamente livros e artigos acadêmicos, resultados de investigações científicas que realizamos na Universidade.  Os livros publicados são resultados de projetos de pesquisa, desenvolvidas no mestrado, no doutorado e no trabalho de investigação que realizamos na UFMT e nos Programas de Pós-Graduação em Sociologia e no PPG em Estudos de Cultura Contemporânea. Livros que publiquei: “A Formação do Jogador de Futebol no Sport Club Internacional” (Paco Editorial); “O FUTEBOL DE VÁRZEA NA COMUNIDADE SÃO GONÇALO BEIRA RIO” (EdUFMT), em parceria com o Allan Kardeck Benitez Acosta,  O fim do passe e a modernização conservadora no futebol brasileiro Estudo sobre os impactos da Lei Pelé (Lei 9.615/1998) no mercado futebolístico brasileiro. Temos 11 capítulos de livros sobre temas diversos (esporte, educação, segurança pública) e 49 artigos científicos publicados em periódicos acadêmicos de diferentes Universidades brasileiras e estrangeiras. 

Blog da Condessa – O acervo da EDUFMT é digital e gratuito, ou algumas obras apenas?

Francisco Xavier Freire Rodrigues –  O acervo da EdUFMT é híbrido. Somente os e-books é que estão em versão digital e com acesso gratuito. Foram publicados 61 E-books e 641 livros físicos. Também temos algumas obras impressas que são gratuitas e o restante tem um preço bem acessível.

Blog da Condessa – Qual a importância da EdUFMT no fomento à leitura? 

Francisco Xavier Freire Rodrigues – Ao longo da sua existência a EdUFMT já publicou mais de 700 livros diferentes, sobre os mais diversos temas de importância local, regional, nacional e global. Por ser uma Editora de uma Universidade Pública, ela tem publicado e divulgado livros com preços acessíveis para públicos diversos. Neste sentido, a nossa EdUFMT desempenha papel fundamental na divulgação da produção intelectual da comunidade acadêmica da UFMT e se constitui como ator importante no fomento a leitura. Ao publicar e divulgar os livros frutos de pesquisas dos nossos escritores, a EdUFMT possibilita que os conhecimentos e saberes sejam socializados com a comunidade mato-grossense e brasileira. Os e-books são fundamentais no sentido de possibilitar o acesso ampliado ao conhecimento. A EdUFMT cumpre a importante missão de popular a ciência e aproximar Universidade e a sociedade. 

Blog da Condessa – Que ações você considera válidas para ampliar o acesso ao livro?

Francisco Xavier Freire Rodrigues – Ao longo desses anos a EdUFMT promoveu politicas de doação de livros para bibliotecas e acervos de escolas, universidades e instituições de ensino no país, por meio de termos de doação e registro. Atualmente finaliza o programa de venda a baixo custo de livros para estudantes atendidos pelos programas de assistência estudantil da Pró-Reitoria de Assistência Estudantil- PRAE, a ser efetivado em agosto. Outras ações visam ampliar programas de publicação de livros digitais, com acesso gratuito e programas de descontos nas vendas de livros. Divulgação forte dentro da própria universidade, promoções, participação em eventos, entre outros. A partir desse conjunto de ações, a EdUFMT tem garantido a manutenção de sua principal função: a divulgação de trabalhos acadêmicos que contenham questões de relevância social, através da divulgação da história, cultura e artes do Estado de Mato Grosso.

Blog da Condessa – A editora da UFMT tem projetos financiados, incentivos para as publicações? 

Francisco Xavier Freire Rodrigues –  A Editora captou recursos para projetos e convênios com a Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel/MT) e o IFMT, na ordem de 242 mil reais para publicações. Além disso, custeou com recursos próprios a impressão para distribuição gratuita nas escolas, hospitais e comunidade do Estado de cinco mil exemplares do livro infantil Coronavirus, do #MTCiência, como uma das estratégias de prevenção e enfrentamento da Covid-19. A EdUFMT conseguiu atender as demandas de publicações de pesquisadores do quadro da universidade com publicações – financiadas – de projetos de pesquisa, convênio, parcerias e coedições. Merece destaque todas as publicações feitas dos Planos Municipais de Saneamento Básico (PMSB) para 109 municípios com até 50 mil habitantes, rendendo a Mato Grosso o título de único estado do Brasil com 100% dos seus municípios com um instrumento de planejamento dos PMSBs. Registramos também a construção do projeto “Cuiabá 300 Anos”, com publicações a serem financiadas com recurso de emenda parlamentar e o início dos estudos técnicos para a realização da cooperação da UFMT, via Editora, e Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso (IFMT) para a realização do seu edital interno de publicação de obras digitais, tendo como parceira a Fundação Uniselva.

Blog da Condessa – A editora permite a aquisição de livros com desconto? E o setor de vendas? Há funcionários, estagiários?

Francisco Xavier Freire Rodrigues –  Sim, mas só quando fazemos saldão. Temos descontos para compra de livros quando o professor indica um título para a turma. Ele nos manda a lista com os nomes dos alunos e damos desconto. Também fazemos algumas promoções. No Setor de Vendas da EdUFMT, temos um funcionário e dois Estagiários. Uma no período matutino e outra no período vespertino.  A livraria conta com pessoal para atendimento no horário comercial. Ela recebeu móveis novos recentemente e tem centenas de livros expostos. Também fazemos vendas online.

Blog da Condessa – Há títulos da editora disponíveis em livrarias da cidade?

Francisco Xavier Freire Rodrigues – Só vendemos nossos títulos na livraria da editora, em eventos e através do site da EdUFMT https://www.edufmt.com.br/.

Blog da Condessa – Dicas de leitura da produção regional encontrada na  editora, por favor.

Francisco Xavier Freire Rodrigues  – Salvando Dino, Trilogia Cuiabana, Identidade e Território, Nova História do Mato Grosso Contemporâneo, entre outros.

Blog da Condessa – Por fim, quais projetos futuros para a editora você pode adiantar que deverão acontecer ainda este ano ou no próximo?

Francisco Xavier Freire Rodrigues – Elevar a quantidade de publicações com o selo da EdUFMT por meio de Editais para pesquisadores vinculados à UFMT. Criar campanhas de divulgação e circulação da produção bibliográfica da Editora para a comunidade externa e interna. Publicar obras com recurso da UFMT. Publicar obras com recursos do autor/pesquisador ou entidade de apoio. Desenvolver novas formas de divulgação/circulação das obras publicadas. Esperamos para 2021: 10 obras publicadas (publicar obras com recurso da UFMT); 20 Obras publicadas (publicar obras com recursos do autor/pesquisador ou entidade de apoio); Inserção na programação da TVU; Participação em eventos de grande circulação; Divulgação de livros nas redes sociais da Editora e Realização de eventos de lançamentos de livros.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
Com muito ❤ por go7.site