Saúde

Idosos na pandemia: isolamento social não é sinônimo de distanciamento afetivo

Roberto Azevedo, 65, é médico geriatra, mestre em farmacologia e doutorando em biomedicina. Atua em consultório geriátrico e é médico do Tribunal de Justiça de Mato Grosso. De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2010, os mato-grossenses tinham uma expectativa de viver 72,6 anos, já em 2019 essa média aumentou para 74,2. A população idosa também cresceu nesse período e chegou aos 244 mil habitantes. Uma das poucas certezas que se tem sobre a doença é a vulnerabilidade dos idosos aos sintomas do vírus. Por terem saúde mais frágil, em função do tempo de vida, são os idosos que mais sofrem as consequências da covid-19 em caso de contaminação. Na entrevista, a seguir, o especialista chama atenção para os cuidados redobrados durante a pandemia, bem como com o distanciamento afetivo.

Blog da Condessa –Quais os principais cuidados com idosos durante a pandemia?

Roberto Azevedo – Manter rotina de cuidados prévios à saúde, alimentação o mais saudável possível, ingerir água com constância e usar medicamentos prescritos. Manter isolamento social, em virtude da diminuição de imunidade em função de idade avançada; e que tenham bom suporte familiar.

Blog da Condessa – Qual o maior desafio para convencer essas pessoas a se preservarem?

Roberto Azevedo – Acreditar no futuro; ter fé que a pandemia vai passar e a vida retornará ao ritmo habitual.

Blog da Condessa – Qual a sua orientação para amenizar a solidão e manter-se minimamente saudável?

Roberto Azevedo – Procurar interagir com familiares com os devidos cuidados preventivos; cultivar atividades recreativas em casa; orar e procurar ajudar outras pessoas em situação mais crítica.

Blog da Condessa – A assistência dos familiares, respeitando o distanciamento, os limites da quarentena é fundamental?

Roberto Azevedo – Manter contatos com nossos idosos, parentes ou amigos, é instrumento fundamental para preservar o bem estar de idosos. Basta um pouquinho de atenção que já produz uma melhoria na qualidade de vida.

Blog da Condessa – O que dizer para esses idosos que estão angustiados? O que dizer para as pessoas com mais de 60, 70, 80, 90 anos?

Roberto Azevedo – Ter calma, paciência e uma boa visão de futuro próximo. Com os devidos cuidados haveremos de superar o momento difícil e a vida seguirá.

Blog da Condessa – O senhor está preocupado com o avanço da doença no Brasil, em MT, Cuiabá?

Roberto Azevedo – Sem nenhuma explicação científica, nossa cidade e nosso Estado estão com nível baixo de doença e óbitos por covid-19. Existe a preocupação do avanço da doença. Felizmente os profissionais e o sistema de saúde já estão melhor aparelhados para cuidar de nossa saúde nessa situação. Fica angustiante a situação social de trabalho/renda e subsistência.

Blog da Condessa -Qual o segredo para uma vida longa?

Roberto Azevedo – Ter Fé em Deus; cuidar com todos os exageros na vida; manter cuidados regulares à saúde, praticar atividades físicas com regularidade; buscar o melhor nas pessoas; sorrir sempre; ajudar o próximo; buscar a felicidade em todas as coisas e manter a família unida.

Blog da Condessa -Como podemos ajudar, como podemos contribuir para a saúde mental e, por extensão, física dessas pessoas?

Roberto Azevedo – Procurando olhar mesmo para os idosos; ouvir e falar com o coração, falar as verdades, procurar ser solidário e não abandonar nossos idosos

Blog da Condessa – E como o senhor tem feito em relação a seus pacientes, também impedidos de irem ao consultório?

Roberto Azevedo – Fico a disposição de meus pacientes por contatos via telefone e outros meios de comunicação à distância. Para alguns mais necessitados ,faço contatos com regularidade.

Blog da Condessa – O que o senhor tem a dizer para os idosos sobre a covid-19?

Roberto Azevedo – A maioria dos idosos atuais já vivenciou outras pandemias ao longo da vida. O importante mesmo é fazermos nossa parte, seguir as orientações dos profissionais de saúde e continuar nos cuidando. Se apresentar suspeita da doença, procurar orientação médica adequada.

Blog da Condessa – O que o senhor pensa sobre as pessoas voltarem a trabalhar onde há aglomerações?

Roberto Azevedo – Problema está sendo um drama no mundo todo. Isolar totalmente? Isolar parcialmente? Conforme orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS) as pessoas de alto risco de morte pela doença, entre os quais os idosos, devem manter o melhor isolamento possível. Entretanto, a população em geral não está preparada para ficar sem trabalho e renda por tempo prolongado.

Blog da Condessa – Por favor, orientações e dicas sobre alimentação, exercícios físicos, bem como o cuidado com a saúde mental e depressão.

Roberto Azevedo  – Ingerir líquidos saudáveis (água, sucos naturais, entre outros)com constância. Alimentação leve e fracionada em várias refeições ao longo do dia. Praticar atividades físicas leves em casa. Não exagerar em assistir televisão e procurar programas mais leves. Manter contatos com amigos e familiares da forma possível e adequada. Orar sempre. Pedir a Deus que cuide de cada um e de todos nós. Procurar sorrir mais, pois alegra nosso coração e cura nossa alma sofrida.

 

2 Comentários

  1. Entrevista importante. Uma questão fundamental e simples está aí colocada. Conviver afetivamente com nossos idosos, ainda que à distância. Tomar muita água e sorrir com fé e leveza. E se isolar, se pudee. Se não, cuide de si e dos outros também. Parabéns

  2. Que maravilha!
    Respostas maduras e científicas, chegou em momento oportuno para a comunidade em geral.
    Parabéns Dr.’. Roberto Gomes de Azevedo. Felicidade Plena em sua vida….

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
Com muito ❤ por go7.site